segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

São coisas da vida...

É estranho, finalmente o grande dia chegou e passou como qualquer outro dia, como vários dias passam, alguns arrastados, outros voando. Embora o tempo seja perfeitamente contado, a cada minuto que se vai é tão normal encontrar incertezas do mesmo tempo tão certo. São 24 horas que em alguns dias viram meses, depois anos...É tudo muito rápido, e por mais que saibamos da importância de valorizar cada dia, deixamos tanta coisa por fazer, assumimos tantas outras coisas desnecessárias e não aproveitamos os bons momentos, simples momentos, que todos os dias nos cercam esperando apenas o nosso 'sim'. Foram onze anos, muito queridos, alguns sofridos, mas eu sei que ali era um mar de rosas, apesar das nossas queixas típicas. Encontrei muitas pessoas, algumas por acaso entraram na minha vida mas não por acaso permaneceram (frase favorita da Elenai, depois de "Taubaté e Timão, sempre no coração!"- deixando Taubaté de fora...rs). Foi uma grande alegria ter tantas pessoas especiais participando dessa etapa da minha vida. Tenho certeza que daqui pra frente virão novas conquistas e consequentemente também outros obstáculos. Mas,"são coisas da vida".Ainda sim..."É estranho ser humano nessas horas de partida".

Coisas da Vida, Rita Lee

Quando a lua apareceu ninguém sonhava mais do que eu
Já era tarde, mas a noite é uma criança distraída
Depois que eu envelhecer ninguém precisa mais me dizer
Como é estranho ser humano nessas horas de partida

É o fim da picada, depois da estrada começa uma grande avenida
No fim da avenida, existe uma chance, uma sorte, uma nova saída
São coisas da vida
E a gente se olha, e não sabe
Se vai ou se fica
Qual é a moral? qual vai ser o final dessa história?
Eu não tenho nada prá dizer, por isso digo
Que eu não tenho muito o que perder, por isso jogo
Eu não tenho hora prá morrer, por isso sonho

Ah, ah, ah, são coisas da vida
Ah, ah, ah, e a gente se olha e não sabe se vai ou se fica, Ah,ah..
Ah, ah, ah, são coisas da vida

Um abraço aos queridos professores de todos os anos, do primeiro ao último, grandes mestres, e amigos, aos funcionários da escola, eternas figuras, colegas de classe, amigos de fé irmãos camaradas, cúmplices de grandes conversas e momentos de descontração, concentração e descobertas e à família, porto-seguro, presente nos momentos de felicidade e força nas horas de dificuldades.


Um comentário:

Claudia disse...

É preciso aprender a virar a página da vida, a historia não deixa de estar lá escrita mas é preciso continuar...