quarta-feira, 30 de abril de 2008




30 de Abril de 2008,


E essa garoa que cai, cai como as folhas do outono escondido nesse frio fundido nesse vento que sopra, que sopra de leve, que não é vento é brisa.Essa brisa que não vejo mas que sinto, tanto quanto sinto aqueles que um dia partiram de repente, pra onde não sei.Sinto saudades.Mas hoje é 30 de abril, dia de tantas coisas, dia do 'dia do aniversário' de mamãe, a mulher mais linda desse mundo, com os olhos mais lindos desse mundo...Hoje foi dia de rever um amigo, o único, daquele ambiente que contrasta hostilidade com hospitalidade, que me faz por vezes querer sumir mas que me prende ao mesmo tempo que me espanta.Hoje é a prova de Física, e eu tentarei fazer o melhor que puder, embora devesse estar no meio dos livros e cadernos do que estar aqui a escrever para ninguém.Mas esse friozinho praticamente me induz ao quentinho das meias e edredons, pãozinho e café quente, música, voz e violão.A garoa parece que conspira um silêncio gracioso, e uma paz aconchegante, só ouço agora o barulho do teclado.Ponto.

Um comentário:

kenia disse...

pô, imagem foda, texto foda. amei.